03 agosto, 2006

África do Sul - um país a preto e branco

«Esqueça-se o apartheid, porque a África do Sul também já o esqueceu. Agora tem outro problema, mais diluído e difícil de resolver: a pobreza. (...)

A pobreza está nas townships, nos bairros de chapa ondulada e cartão na periferia das grandes cidades, sai de noite a espoliar os restos do dia no centro da cidade, apresenta-se nos semáforos com um prato de esmolas estendido na direcção do condutor, rouba, dispara, mata quando pode, a troco de um par de sapatos, de um punhado de notas de rand, de um automóvel ou passaporte que depois se vende em Nairobi ou em Tânger. A pobreza está nas estatísticas, ou na falta delas, números que falam da epidemia da sida, do desemprego em metade da população, milhares de famílias que vivem com menos de cinco euros por mês, de condições de vida medievais nos bairros de lata»

in A Lua Pode Esperar, p. 94 e 95

Não consigo imaginar o desespero de quem mata para roubar um par de sapatos, ou pouco mais. É a luta pela sobrevivência em estado puro.

Nós ocidentais, temos cada vez mais a nossa sobrevivência assegurada. Subsídios, apoios, etc ... Agora, há pessoas, em muitas partes do globo, que não têm NADA. E o valor que dão à vida é relativo e diferente do nosso. E isso, é terrível!

Ao ler o texto de Gonçalo Cadilhe sobre a Cidade do Cabo, lembrei-me de um livro que li em Agosto de 2004 e de que gostei. O livro é de J.M. Coetzee e intitula-se Desgraça. É um retrato da nova África do Sul e, consequentemente dos seus novos problemas. Um retrato um pouco assustador!

3 comentários:

Anónimo disse...

Esse retrato da cidade do cabo é, tanto quanto sei, um retrato de todo o continente africano, ou, mais genericamente, de todo o terceiro mundo. É, de facto, lamentável a diferença que existe entre o norte e o sul... O "disgrace" sendo um retrato sobre a áfrica do sul é sobretudo um retrato de cada um de nós, na sequência dos livros de Cootzee, childhood e youth.
São três livros excelentes.

totoia disse...

Não sei se viram o filme "Fiel jardineiro". Acho que retrata muito bem o que se passa por lá.

Quando o filme acabou, tive vontade de me oferecer como voluntária para ajudar aquelas pessoas, mas falta a coragem!!

Laranjinha disse...

Já cá tenho o filme. Hoje ao final da tarde vou vê-lo.