07 fevereiro, 2014

Impunidade e viver com isso

Este livro fez-me pensar na impunidade. Esta história baseia-se em factos verídicos vividos pela autora. E esta situação de ex-nazis a viverem pacificamente em Espanha e Portugal era conhecida, aceite, tolerada na década de oitenta, ainda para mais não sendo um caso isolado mas uma comunidade.

Ouvi no programa da Antena 1 "No limite da dor", uma vitima dos torturadores da PIDE a descrever os seus horrores. Impressionou-me a entrevistada ao dizer que ainda esperava um pedido de desculpas, que os seus torturadores eram funcionários públicos, homens e mulheres que se vestiam todos os dias de manhã, despediam-se da sua família para ir maltratar alguém com ideais políticos diferentes. Ainda e a propósito deste programa alguém me contava que outra vitima tinha reconhecido um dos seus carrascos na saída do metro, e que gritou por ajuda e pela policia, entrou em desespero quando deu de caras com aquele individuo que deveria estar atrás das grades.

Como se esquece o que se sofreu? O que se fez sofrer?

Boas leituras!


31 janeiro, 2014

Os monstros também amam - primeiras impressões


Este livro foi sugestão de um amigo, senão me tivesse falado dele com tanto entusiasmo provavelmente nunca o leria. E dou-lhe razão quando me disse que era um daqueles livros que nos agarra logo nas primeiras páginas e quando parece que está tudo revelado eis que há ali um pormenor que nos indica ainda haver muito para desbravar.

Clara Sánchez conta-nos a história de Sandra, Karin e Frederik e Julián. Dois ex-nazis, um judeu e uma jovem grávida. O enredo passa-se na costa espanhola, local escolhido por antigos nazis que após a Segunda Guerra ali se refugiaram e viveram tranquilamente até à sua morte.

Boas leituras!

28 janeiro, 2014

Um final feliz...


Americanah é um livro que fala do racismo nas suas diferentes formas e como os americanos lidam (ou não) com este assunto. A personagem principal deste romance tem muito em comum com Chimamanda (autora), é uma nigeriana que vem estudar para os EUA, deixando para trás a sua família e o namorado. Quando chega ao pais de todas as promessas depara-se com a dificuldade em arranjar trabalho, ter um visto e no limite em sobreviver. 

Com muita sorte à mistura, Ifemelu (a heroína) consegue superar todas as dificuldades e tornar-se numa voz activa expondo através do seu blogue situações e opiniões sobre a raça africana. Mas nunca se chega a sentir confortável nos EUA e regressa a Nigéria onde acaba também por criar um blogue para falar do seu pais e de uma nova "classe social" os retornados dos EUA para a Nigéria.

Depois de ler este livro fiquei com vontade de ler "A minha herança" De barack Obama e o "Cerne da Questão" de Graham Greene.

Este livro foi surpreendente para mim pela forma como abordou o racismo e a ralação actual dos americanos com este assunto.

Boas leituras!


24 janeiro, 2014

ameriCanah - primeiras impressões


Americanah, foi uma daqueles títulos que apontei no meu caderno preto para ler mais tarde ou porque li numa crítica ou por me terem falado dele, seja qual tenha sido o motivo o certo é que ficou registado.
Quando me chegou as mãos e o conhecei a ler fiquei de imediato rendida à escrita de Chimanda Ngozi Adichie de uma forma descontraída ela vai descrevendo a vida de uma jovem nigeriana que vai viver para os EUA.

Com o avançar da história fui percebendo que o livro vai muito além da história de Ifemelu e Obinze (o par romântico), é um quase tratado do racismo que prevalece actualmente nos EUA.
Ainda vou a meio da leitura mas para já a nossa Ifemelu separada do Obinze (que entretanto foi deportado para a Nigéria), tem um blogue sobre questões raciais e convive com um grupo de intelectuais com quem discute questões ligadas ao mesmo tema, no inicio do romance ela decide regressar à Nigéria.
Veremos como vai ser esse regresso.

“quem me dera pertencer aos países que dão e não aos que recebem”



Boas leituras!

05 fevereiro, 2012

Encontro à Volta das Letras


Hoje foi bom. Muito bom. A conversa foi como sempre muita animada e muitas vezes com diálogos sobrepostos, houve até alguma dificuldade em apanhar tudo. Penso que estávamos um bocado ávidos destes encontros. Havia muito que contar. Falou-se da actualidade, da crise e das coisas boas que ela trouxe, de comida (claro, ali com a Laranjinha era impossível não se falar), de facebook e do goodreads, de novos e velhos projectos, de atitudes para 2012 e claro como não podia deixar de ser de livros. O que lemos, o que andamos a ler, o que queremos ler, o que não nos apetece mesmo nada ler... Enfim, um bom começo de Domingo. O próximo encontro será dia 4 de Março no Museu da Electricidade.

Até lá boas leituras!

01 fevereiro, 2012

Luzes de Leonor


Sabem quando o dia está a ser uma seca e aquilo que nos anima é saber que à noite temos um livro mesmo bom à nossa espera?! É assim que me sinto ao pensar nas Luzes de Leonor. Já me aconteceu acordar de madrugada e ir ler mais um bocado. A leitura não é fácil mas quando nos agarra é deliciosa. Fala da Marquesa de Alorna uma personagem riquissíma e uma mulher muito à frente até para os dias de hoje, Maria Teresa Horta demorou 13 anos a escrever este livro. Eu vou demorar muitos dias a lê-lo mas vai valer a pena!

Boas leituras.

31 janeiro, 2012

Em jeito de balanço...

O mês de 2011 foi um ano de adaptações. Um ano de grandes mudanças para os membros deste grupo de leitores. Ainda sim e apesar dos encontros terem sido escassos, fomos mantendo o contacto e deu para perceber que não mudamos muito. Continuamos a gostar de ler, de viajar, de fazer coisas novas e diferentes, atentos à conjuntura mas não nos deixando abater pelo pessimismo que cai sobre Portugal. Este blogue já esteve moribundo ou mesmo cadáver, mas numa altura em que é urgente fazer, falar e transmitir boas energias há que reanimar este projecto.

Começo por fazer um balanço dos livros lidos em 2011:

- Crime e Castigo;
- A queda dos Gigantes;
- Esta noite improvisa-se;
- Hotel memória;
- O Confessor;
- Para a minha filha em França;
- Um grito de amor;
- Budapeste;
- Cinco quartos de Laranja;
- Menino de Cabul;
- O Professor;
- Julie e Julie;
- Diário de um serial killer sentimental;
- Palácio da lua;
- Bombaim;
- O olhar sobre as mulheres;
- O livro dos homens sem luz;
- O retrato de Dorian Gray;
- As memórias secretas da Rainha D. Amélia;
- Hotel Íris;
- Chão dos Pardais;
- O estrangeiro;
- Um dia;
- O filho de mil homens;
- As serviçais;
- Pânico.

Foi um ano de descoberta de alguns autores, Dulce Maria Cardoso foi uma agradável surpresa. Valter Hugo Mãe e João Tordo deram um salto qualitativo enorme.Li também alguns autores que me passaram e passam muito pelas mãos (no meu trabalho) e que nunca me dei ao trabalho de ler, por um sentido de obrigação profissional decidi ler, não dei o meu tempo por perdido mas não voltarei a eles.

Para 2012 tenho um objectivo de ler 50 livros, ver ainda menos televisão, ver mais teatro, filmes (em casa, o cinema está estupidamente caro) e estar mais com os amigos.... Começando já este Domingo no primeiríssimo encontro do À volta das letras. Às 10h30 no Museu Nacional de Arte Antiga, temos muito para pôr em dia. 

Se decidirem participar, relembro o À volta das Letras está sempre de "braços" abertos para receber qualquer pessoa que gosta de ler, de livros, de conversar, de viver com muita e boa energia!

Um bom ano cheio de boas leituras!


17 abril, 2011

Encontro À volta das letras

Voltamos ao activo. Hoje foi o nosso encontro... passou quase um ano!! Parece impossível. Depois de várias conversas cruzadas, de muitas gargalhadas e de pôr as novidades em dia decidimos o que ler até ao final do ano. Optamos por dar alguma liberdade na escolha do livro, por isso escolhemos um autor por mês e cada um escolhe um livro daquele autor, assim sendo:

Maio - José Saramago
Junho - Virginia Woolf
Julho - Eça de Queirós
Agosto - Julio Verne
Setembro - Fiódor Dostoiévski
Outubro - Marguerite Yourcenar
Novembro - John Steinbeck
Dezembro - Charles Dickens


31 março, 2011

A ler...

O confessor de Daniel Silva

O desafio que aceitei para este ano foi a razão que me levou a ler este livro. No mês de Março era suposto ler um autor que nunca tivesse lido e foi isso que fiz. Escolhi o Daniel Silva porque já estava na minha lista de livros a ler, como trabalho numa biblioteca é frequente os leitores sugiram este ou aquele livro, este foi um desses casos.

Para quem gosta do Dan Brown vai gostar deste livro de certeza, a receita é a mesma, um mistério à volta do Vaticano, uma sociedade secreta, um herói e a mulher linda e corajosa, os bandidos, muitos tiros e perseguições. Quanto a mim, estou um bocado farta desta receita por isso não posso dizer que gostei do livro, mas como Daniel Silva tem tantos livros publicados não vou "desistir" dele para já, mais tarde vou voltar a lê-lo. 
Boas leituras!

22 março, 2011

A ler

Hotel Memória de João Tordo

Com a cidade de Nova Iorque como pano de fundo, João Tordo conta a história de um fadista português que desapareceu na multidão da grande cidade. O personagem principal e Daniel da Silva (o fadista) vão "encontrar-se" no Hotel Memória após  um acontecimento que vai mudar o rumo da vida do jovem estudante universitário que se apaixona por uma estranha e misteriosa rapariga.Apaixonante!

Por diversas vezes me lembrei de Paul Auster ao ler este livro, o mesmo já me tinha acontecido no romance as Três Vidas também deste autor, talvez seja o facto de tanto um autor como outro usarem a cidade de Nova York como se fosse uma personagem, ou pelos personagens masculinos serem sempre complexos. Há sem dúvida algumas semelhanças. Pode-se dizer que lê Paul Auster também João Tordo e vice versa.

Boas leituras!

13 março, 2011

Pirandello, o Nobel em Fevereiro

Escolhi este autor porque vi algumas peças escritas por ele em 2008 (certo dancing kid?) e fiquei fascinada com ele, especialmente depois de ter visto Esta noite improvisa-se no D. Maria e ao contrário do que costuma acontecer com os filmes, gostei muito mais de ver a peça do que a ler. Tudo bem que é teatro e as indicações do autor para os cenários e movimentações dos autores não ajudam à leitura mas ainda assim esperava outra coisa.

Sigo para o desafio de Março, um autor que nunca tenha lido, o escolhido foi Daniel Silva.

Boas leituras!


Encontro do À Volta das Letras

Após muitos meses de ausência, o à Volta das Letras vai voltar a encontrar-se, dia 20 de Março às 11h00 na cafetaria do MNAA.

Boas leituras!

08 março, 2011

A queda dos gigantes - O Século

Cheguei ao fim do 1º volume da trilogia o Século de Ken Follett. A história começa nos antecedentes da 1ª guerra e dá a perspectiva dos intervenientes dos vários países e classes sociais que estiveram envolvidos na I Guerra Mundial. Os personagens são intensos e desde o começo da história sentimos empatia com eles. As mulheres e a luta pela igualdade é um dos temas desenvolvidos por Ken Follett. O 1º volume termina com a prisão de Hitler quando ainda era um ilustre desconhecido. Estou ansiosa pelo 2º volume quero ver que voltas ainda vão dar os personagens de Gus, Walter e Maud, Ethel e Billy, o Conde Fitzherbert... A tábua de personagens no inicio do livro assustou-me um pouco mas como foram introduzidas pouco a pouco na história tornou-se muito fácil saber quem é quem.

Agora sigo para um livro que tenha sido escrito por um Nobel, escolhi Pirandello com Esta Noite Improvisa-se!

Boas Leituras!
.