11 setembro, 2008

Turistas por um dia.


“Às vezes penso na sorte que têm os turistas quando chegam à minha capital. (…) Está gasta.”

Um dos motivos para que, inicialmente, os encontros do À Volta das Letras fossem num Museu era de seguida os irmos visitar, porque apesar de sermos ou morarmos em Lisboa havia museus que ainda não conhecíamos. Isto parece-me hoje tão estranho! Como é possível que há meia dúzia de anos atrás não conhecesse o Museu da Cidade ou o Museu Nacional de Arte Antiga, quando a primeira coisa que faço quando vou para outro país é visitar os principais museus. Curiosamente não é tão raro quanto isso ouvir alguém falar maravilhas do Museu do Prado, do Louvre, ou da Tate Gallery e ficar surpreendida pois essa mesma pessoa que já visitou tantos museus não conhece o vizinho Museu Nacional de Arte Antiga.

Porque valorizamos tanto outras cidades e não nos maravilhamos com a nossa? Já pensei pegar numa mochila, num guia da cidade, calçar uns ténis e fingir-me de turista por Lisboa a fora… Que tal num próximo encontro sermos turistas por um dia em Lisboa, soa bem não soa?

Gonçalo Cadilhe acha que Lisboa está gasta. Não concordo. Não me lembro de ver tanta coisa a acontecer nesta cidade ao mesmo tempo, a dificuldade é escolher. Museus abertos à noite, espectáculos de rua, esplanadas novas com música agradável, concertos a 5 euros e gratuitos. Tinha programa para todos os dias, senão fosse uma comum mortal com horários de trabalho fixos. Acho que o nosso viajante preferido precisa de uma visita guiada por Lisboa.


Pág. 27, Nos Passos de Magalhães

4 comentários:

Luis Eme disse...

não sei qual foi o sentido que o Gonçalo deu à frase, Ruth, mas pelo menos fisicamente, Lisboa está gasta... não é uma coisa nova, está usada, pelos menos os bairros tipicos...

parece que tenho mesmo de ler o livro...

Cristinita disse...

Rute,
So uma achega e que não tem a ver com o livro do Gonçalo mas como falas em conheçer a cidade, aqui vai uma sugestão.
Tive conhecimento que dias 26/27 e 28 de Setembro vai ser possivel conhecer os tuneis de Lisboa. As visitas são entre as 10h e as 18h. Entrada livre.
Eu quero ver se este ano não falto. Querem combinar alguma coisa?

Rute Oliveira disse...

Olá luis eme, na minha opinião Lisboa esta a ressuscitar, aos poucos parece estar a acordar de um sono logo. O Chiado é um bom exemplo do que quero dizer. E a oferta cultural que inunda a cidade, e os restaurantes, esplanadas, jardins, lojas que aparecem por aí, não concordo que Lisboa esteja gasta muito pelo contrário.

Olá crisitinita obrigado pela achega, mas já os visitamos e a opinião geral não foi a melhor, se fores aconselho-te a ires bem cedo para evitares as filas.

Boas leituras.

Laranja com Canela disse...

Também eu sublinhei essa afirmação de Gonçalo Cadilhe. E vou colocar mais uma acha para a fogueira desta discussão.

Por um lado, concordo que Lisboa está gasta. Eu acrescentaria velha e até descuidada. Há zonas históricas da cidade que estão muito, muito degradadas. Para mim um exemplo gritante é a zona do Castelo e a rua que liga o Largo das Portas do Sol à Graça. Um zona que recebe imensos turistas e que está cinzenta, velha e mal arranjada. Alguns edifícios quase a cair. Vejam até a própria baixa.

Por outro lado, também concordo que Lisboa tem muito para oferecer e que há razoáveis ofertas culturais, espaços e cafés muito acolhedores.

É pena Lisboa não se aproveitar da sua ligação ao Tejo. Temos a zona de Belém em condições, a zona da Expo e pouco mais.

Falta em Lisboa um grande museu, espaços verdes, etc. Alguns dos nossos jardins (ex: Jardim Constantino) estão ao abandono e cheiram mal. É pena!