24 novembro, 2007

Culinária Angolense no Nação Crioula

«(...) converteu-se à calorosa culinária angolense e por mais de uma vez o encontrei entre a criadagem, comendo alegremente o funge e o feijão.

(...) Em contrapartida sei que os ratos assados continuam a vender-se muito bem nos mercados de Luanda, a quinze réis a dúzia, enfiados pela barriga em espetos de pau (...)» p. 13

«Tinha bebido várias taças de quimbombo, espécie de cerveja indígena (...)» p. 56

«À ceia assaram-se cacussos, género de peixe de água doce, muito saboroso, que abunda em toda esta parte de África (...)» p. 57

«Almoçámos ali mesmo, cinco latas de sardinhas de Nantes, um pouco de peixe seco, assado na brasa, funge de farinha de bombó, pão e aguardente.» p. 61

«Horácio Benvindo mandara colocar uma grande mesa no Largo da Igreja, com travessas de carne assada (pacassa, porco do mato e aves diversas), três barris de bom vinho da Madeira e outros tantos de aguardente de cana (...)» p. 66

«Lívia apareceu de repente com uma travessa cheia de gafanhotos assados. (...) Eram relamente muito bons, com um ligeiro travo a avelã, a consistência de pequenos camarões.» p. 67

1 comentário:

totoia disse...

Sim, ok! E para quando uma receitinha?!?