25 outubro, 2007

Encontros

Excepcionalmente ainda não encerramos a leitura do livro A Sétima Porta por uma razão, tínhamos encontro marcado com Richard Zimler ontem. Estivemos a ouvi-lo falar durante 2 horas e as nossas suspeitas confirmaram-se, Richard é uma pessoa com muito para contar, consegue manter uma conversa interessante e sempre com muito humor. Mas acima de tudo o que nos marcou mais, foi a sua atitude profissional perante a leitura, isto é, tudo o que escreve tem por trás uma enorme investigação, para que os dados históricos que apresenta não conterem erros. Não só aspectos conhecidos por todos como também, por exemplo, os cafés que se frequentava em Berlim na década de 20 e que menciona no livro, a roupa que se vestia, o que se comia, as árvores que haviam nos parques, os pássaros, tudo isto é verificado pelo autor. Este estudo que elabora antes de começar a escrever ajuda-o a encarnar as personagens e dá uma realidade que qualquer pessoa que o leia sente no seu livro.

Apesar de ser um escritor com sucesso, Richard não esquece que foi recusado por 27 editoras nos EUA e ajuda quem está a começar a escrever, ainda ontem deu várias dicas para quem esta a começar a escrever.

Por último, tenho de chamar a atenção para um aspecto que me pareceu importante para nós enquanto povo com fama de acolhedor. Richard contou-nos que os portugueses fixam o olhar nele por este ter um aspecto físico diferente, por ser estrangeiro ter mais de 1,90, as pessoas seguem-no com os olhos. Temos de ter mais cuidado, não deve ser nada agradável ser observado assim com tanta intensidade.

Gostei muito, este encontro realizou-se na Livraria Bulhosa em Entrecampos, no âmbito de um clube de leitura.

Quanto a Richard Zimler, acho que posso falar em nome de todos os amigos deste clube quando digo que ele é um porto seguro, os livros dele valem sempre a pena e deixam-nos completamente rendidos a sua escrita.

Voltaremos a ele.

7 comentários:

Minerva McGonagall disse...

Há coisas engraçadas... quando ando de comboio, muita coisa me vem à cabeça.

Há dois ou três dias, pensei neste encontro, e achei que seria muito interessante ver este homem ao vivo por um motivo: ele tem um magnetismo no olhar que faz com seja difícil tirar os olhos dele. Há qualquer coisa de enigmático naquele rosto belo e sereno.

O facto de as pessoas olharem para ele pode incomodá-lo, mas é compreensível... também eu não seria capaz de resistir a uma presença tão forte!

Ainda bem que gostaram! Eu não estive lá, mas gosto sempre de o ouvir falar na televisão. grande homem!

Luis Eme disse...

Não o conheço como escritor.

Mas vou ler algo dele, prometo.

Laranja com Canela disse...

Pelo que descreves ainda fico com mais pena por não ter podido ir!

Adoro os livros de Richard Zimler. Tenho lido todos os livros que escreve depois de O Último Cabalista de Lisboa. É daquelas pessoas que gostava de conhecer.

totoia disse...

Minerva, também é verdade a forma como ele nos olha é fascinante parece que nos está a ler, confesso que não tirei os olhos dele, excepto quando me passaram uma caixa com chocolates. ;)

Olá luis eme, comece por ler o Último Cabalista de Lisboa, garanto que não se vai arrepender. Depois diga-nos qq coisa.

Laranjinha, fiz um choradinho para que ele venha a um dos próximos encontros, temos é de o avisar mais cedo.

dancingkid disse...

Richard Zimler é uma personagem muito interessante, gosto da forma como ele comunica. Este encontro foi muito bom, fiquei com vontade ler todos os livros dele.

totoia disse...

Olá dancingkid espero que essa gripe já te tenha largado. Jão não te faltam todos, já acabaste o úlitmo cabalista?

dancingkid disse...

Ainda não acabei o último cabalista, estou no inicio. Quanto à gripe, este terrível vírus deixou marcas, apesar de estar muito melhor.