20 junho, 2007

O que levará uma mãe a matar os seus filhos?

«- Sim, mas isso só você topou quando o trabalhinho já estava feito. Normalíssima, dona de casa exemplar. Pôs o banho a correr, foi chamando os filhos um a um, metia-lhes a mão na cabeça enquanto rezava. Os miúdos a esbracejar, de olhos abertos debaixo de água, pensavam que iam para o banho. E assim que ela afogava um, pegava nele ao colo, ia deitá-lo na caminha, chamava outro.»

O que levará uma mãe a matar os seus filhos? A loucura? O desequilíbrio? Mas que loucura ou que desequilíbrio poderá transformar uma mãe na assassina dos seus filhos?

6 comentários:

totoia disse...

Há coisas que não se conseguem mesmo entender.

Luis Eme disse...

É uma questão e peras...

Miss Alcor disse...

Fogo... realmente é uma daquelas dúvidas impossíveis de esclarecer!

Cassio Machado disse...

Talvez o pensamento que a morte que ela pode prover para seus filhos seja menos dolorosa que a que o mundo proverá ou seus subsequentes sofrimentos.
Bizarro, porem possivel.

Professor disse...

Enquanto não se convencerem de que o amor maternal é apenas um mito como outros, vão sempre interrogar-se sobre os comportamentos maternos.
Matem-nos, castrem-nos, mesmo que só psicologicamente, ou amem-nos, as mães são sempre uma sombra negra pairando sobre a vida dos filhos.

Claudia Sousa Dias disse...

A frase do professo dá que pensar porque vai ao fundo da questão que já intrigava os Gregos... Medeia fê-lo por ciúmes e vingança as emoções mais negativas de que o ser humano pode ser capaz. O que pressupõe o carácter frio de alguém que se sente no direito de dispor da vida dos seres que dá à luz. No fundo não tem qualquer tipo de respeito pelo direito À vida. Trata-se de seres que constituem um perigo uma vez que em circunstâncias adversas - e não9 necessariamente extremas - se decidem a eliminar por uma questão de comodismo. No fundo, o egoísmo na sua forma mais extrema é o traço fundamental neste tipo de ppersonalidade anti-social.

veja-se o final de "A queda do terceiro Reich" e já percebem o que quero dizer. Há ratazanas que amam mais do que certas mulheres.

CSD