14 fevereiro, 2007

Apontamentos de leitura III

Capítulo 3

- Porto;
- Uma manhã de chuva;
- Jaime Ramos - Detective;
- Isaltino Jesus;
- Conversa sobre as alterações climatéricas:
«(...) o anúncio da chegada do Inverno em pleno mês de Maio nem sequer podia chamar-se uma excentricidade.»

«(..) no Porto chove sempre. Mesmo quando não chove parece que está a chover, deve ser porque a foz está cada vez mais perto da cidade, o mar vai entrando pela cidade, fica tudo húmido (...)»

Um dos aspectos que distingue a cidade de Lisboa do Porto, é na minha opinião, curiosamente, a luz. Lisboa tem mais luz. O Porto aparece-nos um pouco mais cinzento e mais húmido.

6 comentários:

totoia disse...

Há pouco tempo ouvi alguém dizer que Lisboa era a mulher e o Porto o homem, não consigo explicar a razão mas para mim faz sentido.

mau feitio disse...

Vou procurar o livro na minha biblioteca, fiquei curiosa quanto ao livro.

Different disse...

O Porto é mais áspero, agressivo, inebriante, viciante. Lisboa é a mulher deitada ao sol, oferecida, fresca...

Anónimo disse...

Finalmente estou a ler o mesmo livro que o À volta das letras. Até que enfim. Gosto muito do vosso blog. É muito motivador.
TB

India disse...

Gostei dessa comparação.No meu caso, é " na mouche". O meu príncipe tem sotaque do Norte. E eu... tenho o cheiro dos cravos e o verde da maresia alfacinha.
O Porto é mistério...é bruma entre as pontes, o frio agreste das nortadas.
Mas é também um cadinho antigo onde se preserva o velho e um laboratório de vanguardas.
Lisboa é solar. É um abraço de rio e mar. É luz branca no azul do Tejo.

totoia disse...

Força mau feitio, aproveita a nossa boleia.

Obrigado TB e o livro estás a gostar?