22 novembro, 2006

Antigamente era assim ...

As criadas acabavam os restos dos copos, eram gulosas e pouco sabiam de cuidados de beleza. Há muito que deixaram de comer tigelas de café com sopas.

Os lojistas esperavam pacientemente pelos clientes. «Hoje já não há gente dessa.»

As raparigas casadoiras faziam enxoval. Havia jantar no dia do pedido da filha ao pai por parte do rapaz.

Até início do século XX houve o hábito de presentear as criadas com ouro.

Só depois da segunda Guerra Mundial é que as pessoas começaram a viajar. Só os ricos iam para a neve.

Antigamente ser calista era uma arte.

«Os saldos são o cerimonial do comércio que dantes ocorria de maneira muito imaginativa.
- Não é muito caro?
- Faço um abatimento por ser para si.»
Quando entramos numa loja, normalmente, não regateamos o preço. Limitamo-nos a pagar o que está na etiqueta.

O dono da loja, que fazia os descontinhos, hoje em dia é uma figura um pouco abstracta. Actualmente, regatear os preços só se for em mercados ou numa ou outra feira. Mas para regatear é preciso ter arte.

1 comentário:

Minerva McGonagall disse...

Definitivamente, regatear não é a minha arte. Infelizmente, porque às vezes dá mesmo jeito!