30 outubro, 2006

Receita Angolana

“ O velho capataz também preparou um suculento jantar – cabrito assado no forno, acompanhado com mandioca e inhame cozido. Era o prato favorito do Senhor Engenheiro.”

In Paralelo 75, pág. 154

Lavam-se os inhames em água corrente esfregando-os com um piaçaba para os limpar bem da terra.
Colocam-se os inhames num tacho, cobertos de água temperada com sal. Levam-se a cozer em lume brando, devendo a água evaporar completamente. Voltam a cobrir-se de água, que deve ferver até evaporar como a anterior. Dizem que para ficarem bem cozidos, os inhames devem secar três vezes a água. No entanto há quem os coza longamente acrescentando a água à medida que se vai evaporando e há ainda quem os coza na panela de pressão (1 hora e meia). Depois de cozidos, descascam-se e servem-se quentes ou frios como acompanhamento ou ainda cortados ás rodelas grossas e fritos em óleo bem quente. São um bom petisco com chouriço assado ou frito. Há também quem coma o inhame com açúcar ou melaço.

Em São Miguel dão o nome de «minhotos» aos inhames pequenos. A este tubérculo dão na generalidade da região açoriana o nome de «tocas». Para os arranjar, a maior parte das pessoas usa luvas, pois os inhames provocam picadelas e comichão. Dizem que estas desaparecem assim que a água de os cozer começa a ferver
Receita tirada de Roteiro Gastrónomico .

5 comentários:

Anónimo disse...

Nunca comi disso, mas despertaste a curiosidade. Boa semana.

totoia disse...

Olá Barão de Troia, eu tb nunca exprimentei... Boa semana e obrigado pela visita.

animal storm disse...

Todo es bueno cuando el hambre aprieta

Sandra B. disse...

Parece muito bom!

Laranjinha disse...

Hum...parece-me muito bem. Nunca comi, acho eu, inhame.