26 setembro, 2006

Missas animadas


“Meteu-se Baltazar pela rua larga, em direcção ao Rossio, depois de ter entrado na igreja de Nossa Senhora de Oliveira, onde assistiu a uma missa e trocou sinais com uma mulher sozinha que dele se agradou, divertimento aliás geral, porque mulheres a um lado, homens ao outro, recados, gestos de mãos, movimentos de lenço, trejeitos de boca, piscadelas de olhos, não faziam mais, se não é pecado fazer tanto, que transmitir mensagens, combinar encontros, pactuar acordos...”

In pág. 31, Memorial do Convento

Agora percebo porque se ia tanto a igreja...

5 comentários:

Dagarman disse...

Pois..pois, agora tb já percebo, ao menos serve para alguma coisa, tens que ler jose luis peixoto é muito bom tb, ja li quase tds os livros, acomselho-te.

Abraços e bjinhos

totoia disse...

De facto não tenho ideia de já ter lido nada de José Luis Peixoto, vou ver se tenho cá alguma coisa. Obrigado dagarman.

Sandra B. disse...

Na altura devia ser complicado encontrar pessoas predispostas a uma futura "amizade" com tanta frequência como nos dias de hoje, logo qualquer sitio era bom para conhecer novas pessoas!

Até os cemitérios eram locais de encontro (casual) para conhecer pessoas que precisavam de apoio e companhia.

Minerva McGonagall disse...

E ainda falam da nossa geração...

Anónimo disse...

Era capaz de ser engraçado e motivador...

denis-pastilha elástica